Os Spill são uma banda de rock criada pelo guitarrista André Fernandes, um músico paralelamente reconhecido pelo seu percurso na área do jazz e música mais experimental. O seu interesse pela música sempre foi muito diverso, e no inicio dos ´00, numa fase em que passou muito tempo em pistas, raves e afins, alguma música e ritmos eletrónicos foram assimilados e suscitaram muito interesse, tendo nessa altura criado os Spill, que na altura cruzava jazz com musica eletrónica tocada live, com músicos como Kalaf (Buraka Som Sistema), João Gomes (Orelha Negra, Cool Hipnoise), Marta Hugon, e mais tarde, DJ Ride, entre outros, tendo com essa formação tocado em todo o tipo de sítios, do Pequeno Auditório do CCB, a Paredes de Coura no Jazz na Relva, ao Bicaense, a bares de má fama no Cais do Sodré.

Anos depois, Fernandes reformulou a banda (mais uma espécie de seu alter-ego) e levou a música directamente para o rock, voltando-se para as suas mais fortes e mais profundas influências desde jovem. O disco “What Would You Say” (Blitz/Sony) sai em 2017, produzido por Fernandes e Marcos Cavaleiro (um dos dois bateristas do grupo actual), e revela 10 músicas que segundo a revista Arte Sonora trazem “Guitarras cheias de twang, baterias demolidoras e a voz de Sara Badalo, carregada de poder eloquente, frenética e provocante, assumindo despudorada o protagonismo como frontwoman da banda”.

Os Spill, um bocado como espelho dos seus mentores, é uma amálgama de influências rock, desde o lado mais punk vivido pela vocalista Sara Badalo (Sam Alone and The Gravediggers), ao lado mais garage vindo de Fernandes, mais soul do lado de Marcos Cavaleiro, mais jazzistico de André Sousa Machado, ou mais pop do teclista Óscar Graça, tudo se junta para o som denso do grupo, que acaba por fazer rock sem pretensões de profundas mensagens, mas de puro divertimento aliado a algum surrealismo no som e na forma, com muito sentido de humor. Os elementos do grupo vêm de toda a parte, de norte a sul, 2 do norte, 3 de Lisboa e uma do Algarve.